quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

E, todas as cinco já partiram


   Há pouco, retirei da estante um livro, para seleccionar  um texto para publicar aqui, neste espaço.
Dentro dele encontrei, possivelmente, como "marcador, um pequeno Boletim -  O Despertar - da igreja das Boas - Novas, na Amadora - onde me congrego. Tive curiosidade de ver a data da sua publicação, tendo concluído que era do dia 25-06-1995, portanto há 19 anos. Passei os olhos por ele, e num dado momento, estava a ler a lista de oração pelos irmãos doentes. Lá estavam os nomes:

D. Luísa Angeja
D. Margarida Rosa
D. Catarina Fernandes
D. Madalena de Sousa
D. Isabel Falcoeiras

   Queridas, e muito amadas irmãs, com quem convivemos muito tempo. Todas elas com a sua personalidade, a sua maneira de ser e de estar, a sua história de vida com mais ou menos lutas e problemas, as suas doenças, os seus anseios e os seus sonhos.
   Diante destes cinco nomes, fiquei em silêncio algum tempo, e, para além de uma imensa saudade que senti, comovi-me,quando me apercebi que todas elas já tinham partido para a Pátria Celestial.
Todas as cinco. A primeira a partir foi a irmã Margarida Rosa, e a última foi a irmã Luísa Angeja - que tantas vezes me disse que gostava muito, muito, de viver.

    Quanto agradeço a Deus por ter tido a oportunidade de as conhecer, de as amar e, por elas ser muito amada! Todas elas, à  sua maneira, enriqueceram a minha vida e deram-me muita alegria!

   Este facto, trouxe ao meu pensamento, o belo hino  que costumamos cantar e que diz:

"De todas as terras irão chegar
Um a um! um a um!
Na eterna mansão, para ali morar,
Sim, um a um!
Vestidos de trajes celestiais,
bem longe do mundo e dos tristes ais,
Desfrutam com Cristo a perfeita paz,
Gozando uma vida que satisfaz..

No eterno lar, querido lar,
Ei-los entrando um a um!
No eterno lar, no lindo lar,
Sim, um a um!

Também nós havemos de ali chegar,
Um a um! um a um!
Da glória dos salvos compartilhar,
Sim, um a um!
Irão uns entrar nesse lar de além
Sem muito sofrer no viver de aquém,
Mas outros terão de lutar, sofrer
Porém  hão-de entrar sem desfalecer.

Humildes, submissos a Ti, Senhor,
Todos nós! todos nós!
Queremos viver sob o teu favor,
Sim, todos nós!
Contigo almejamos participar
Da vida gloriosa do eterno lar.
Ó  Tu. que dominas a terra e os céus,
Transporta-nos todos nos braços teus!

 (Cantor Cristão - nº 517 -)

Autor: Salomão l. Ginsburg (alt.)

 Compositor: W. A. Hogden

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Semear e Colher

Fonte da imagem: alimentodoalto.blogspot.com

SEMEAR E COLHER

     "Toda a árvore boa, produz frutos bons
       e toda a árvore má frutos maus".

         ( Ev.S. Mateus 7:17)

   Identificando a qualidade do fruto com a qualidade da árvore, Jesus está ilustrando qualidades morais; contudo tal declaração reafirma, também, o princípio de que "o que o homem semear isto há-de ceifar".
   Certa vez  o Senhor contou uma rápida parábola cujo sentido teve de explicar posteriormente a seus discípulos - foi a do Semeador.
   Sementes que caíram indeterminadamente em vários locais surpreendidas por terrenos diferentes, não germinaram, germinaram e não cresceram, germinaram e deram frutos em escalas diferentes.
   A semente semeada leva, conforme a sua qualidade e natureza, um certo tempo para produzir frutos, com mais brevidade ou mais tardança.
   A semente semeada produzirá  fruto da mesma espécie e natureza.
   A semente produz naturalmente, em  condições normais, com grande percentagem, pelo que o semeador espera colher mais do que semeou.
   Assim o homem está semeando sempre, para colher neste mundo ou na eternidade.
   O que o homem semear há-de colher:  se na carne, os frutos da carne; se no espírito, os frutos do espírito.
  Tal semeadura poderá ser benção indizível, ou desdita inenarrável.
   Por essas razões é preciso atentar com diligência para o tipo de semeadura que estamos  fazendo para que a ceifa não venha a constituir uma irremediável desgraça, mas uma locupletação  (riqueza) de bençãos divinas e eternas.

(Ler Ev. de S. Mateus 13:1 a 23)

S. J. Ribeiro - no livro - Ninguém falou como Jesus -pag. 81 e 82

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Meu Canto - um poema de Denilson Henrique


 MEU CANTO

Meu canto há-de chegar ao infinito
Em forma de oração ao  criador
para que na terra só exista
alegria, bondade e muito amor.

Todos sabemos que Deus só criou o  bem,
e que o mal foi pelo homem germinado
e espero que pelo homem seja eliminado.

Venham fazer parte da corrente,
da luta contra o ódio e contra o mal
e oremos todos juntos pela paz universal!

Venham fazer parte da corrente,
a favor da alegria, liberdade e da felicidade
para que a paz universal se torne realidade!

 ( Denilson Henrique - 9º C )

No livro -Palavras de Paz - Uma experiência Pedagógica pela Paz

 Escola Secundária de Santa Maria - Sintra - 1987

 Nota:

QUE SERÁ FEITO DESTE "MENINO"?

domingo, 19 de Outubro de 2014

Porque hoje é Domingo (314)

O repouso do cristão

Temamos, pois, que, porventura,  deixada a promessa de entrar no seu repouso, pareça que algum de vós fica para trás. Porque também a nós foram pregadas as boas novas, como a eles, mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com fé naqueles que a ouviram.Porque nós, os que temos crido, entramos no repouso tal como disse...
...não entraram  por causa da desobediência. Determina outra vez, um certo dia, Hoje, dizendo por David, muito tempo depois, como está dito:
Hoje, se ouvirdes a sua voz,
Não endureçais os vossos corações...
...Procuremos, pois, entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência. Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante  do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar.
Visto que temos um grande sumo-sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos  a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; Porém um que, como em nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.Cheguemos , pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.

(Ep. de S. Paulo aos Heb. cap. 4:1 a 3;5b; 6b e7; 11 a 16)

sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

O cego (invisual) que tem saudades do azul do céu

Fonte da imagem:http://oculos.blog.br/ 

E o cego (invisual) disse ao entrevistador:

"TENHO SAUDADES DO AZUL DO CÉU."

 E eu fiquei com um nó na garganta e senti por ele uma enorme compaixão

quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Ao Outono - um poema de John Keats

Bagas de Outono - Fonte da imagem: bobeirasemgeral.blogspot.com
Ao Outono

   "Estação de bruma e doce abundância!
        Amiga íntima do  Sol que amadurece,
   como ele conspirando para encher de frutos
e  abençoar as vinhas que se estendem pelas latadas.
      Para carregar de maçãs as árvores musgosas.
      E  amadurecer todos os frutos até ao caroço.
Para  inchar as cabaças e encher as avelãs de doce miolo,
   para abrir cada vez mais às abelhas as flores tardias
   até elas pensarem que os dias quentes não acabarão,
   pois o Verão já fez transbordar os seus favos viscosos.

           Quem não te viu, tantas vezes, na tua abundância?
            Por vezes, quem procurar aí fora pode encontrar-te
            sentado no chão de um celeiro descuidadamente
        com o cabelo levemente agitado pelo vento,
            ou adormecido num sulco já ceifado,
   entorpecido pelo odor das papoilas, enquanto a tua foice
         poupa o trigo próximo e as flores entrelaçadas
         e, outras vezes, como um rebusqueiro,
         firmas  a cabeça ao atravessar um ribeiro
         ou observas com calma, junto a um lagar,
        a longa passagem do tempo, horas e horas.

   Onde estão as canções da Primavera? Onde estão?
      Não penses nelas, tens a tua música própria!
      Quando os farrapos  de nuvens florescem o suave crepúsculo
  e tingem de róseos matizes as planícies de restolho,
            surge então o lamentoso coro dos mosquitos
                   entre os salgueiros do rio,
    aumentando ou diminuindo com o soprar do vento.
   E berram os cabritos já adultos, nas cidos na montanha,
       cantam os grilos nas sebes e, numa branda voz,
               o pintarroxo canta no jardim.
            Nos céus piam bandos de andorinhas."

                             (J. Keats)

Poeta romântico  inglês - 31/10/1725 - 23/02/1821
   
No livro - A Alegria de Viver com a Natureza - de Edith Holden
   

terça-feira, 14 de Outubro de 2014

Graça Maravilhosa - A história de Raabe

Raabe, a prostituta -  Fonte da imagem: berakash.blogspot.com
Se Deus planeasse destruir a cidade em que habitas e decidisse  poupar uma pessoa, quem pensas  que seria? Seria um Pastor de alguma Igreja Evangélica, alguma criança inocente ou alguém importante  como o presidente  da câmara? Qual a nossa reacção se porventura, fosse algum toxicodependente ou criminoso? Em Jericó, Deus fez  exactamente isto: salvou um proscrito da sociedade - a prostituta Raabe.
Na letra do cântico "Amazing grace" encontramos os seguintes versos:"Graça incrível, como é doce o som / Que salvou um miserável como eu".
Embora não nos imaginemos miseráveis, perante Deus puro e santíssimo que nos observa, a vileza do pecado que havia em nós atingia tão grande dimensão que nos mantinha afastados da Sua  graça. Porém, a mancha da nossa impureza e iniquidade não pode resistir à maravilhosa  graça  do Senhor! A graça  de Deus manifesta-se no amor que manifestou e continua a manifestar a miseráveis como nós! Raabe é uma das muitas provas do poder de Deus para transformar alguém que confia nEle e experimenta a transformação realizada pelo Seu Espírito. Que dizer da transformação que Deus operou em Raabe? Deus tirou-a da casa  da vergonha para o"Hall" da fama (Heb.11:31; a mulher da noite passou a ser a mulher da Luz; a mulher de má reputação passou a ser  de ilustre reputação, de prostituta a princesa.
    (Pastor Joaquim Emanuel Pinto - na Revista da Escola Bíblica Dominical da A.I.B. P -.página 5)

Nota:
Se quiser saber mais sobre Raabe leia na Bíblia Sagrada - no livro de Josué o cap 2:1 a 15 e  6:21 a 25)