segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Porque ontem foi Domingo (309)


Contudo, o Senhor mandará de dia a sua  misericórdia, e de noite a sua canção estará comigo; a oração ao Deus da minha vida…

…Porque estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei. Ele é a salvação da minha face e o meu Deus.

   (Salmo 42:8 e 11)

sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

Mácula - um poema de Pedro Homem de Mello


MÁCULA

Veias azuis em mármore rosado
Caminham sem bulir discretamente...

A sua cor, diáfano pecado,
A medo fere  a pedra transparente...

Veias azuis - promessa de aguarela
Que tudo banha de luar e alinda!

Como seria o mármore sem ela?
 - Talvez mais puro e cor - de - rosa ainda...

  Pedro Homem de Mello - no livro - Segredo


quarta-feira, 10 de Setembro de 2014

Morrer por ideias de outros - uma crónica de Henrique Monteiro

O Jornalista Henrique Monteiro
De uma crónica  da autoria do jornalista Henrique Monteiro, publicada no Jornal Expresso do último sábado, retirei alguns excertos que considero importantes e oportunos, para os dias que vivemos, e, venho aqui partilhá-los com os amigos:

MORRER POR IDEIAS DE OUTROS

"A revelação pelo Expresso de que há portugueses  dispostos a morrer pelo chamado Estado Islâmico, bando terrorista que choca o mundo, trouxe-me á memória uma velha (1972) canção do francês Georges Brassens intitulada" Mourrir por des idèes" (Morrer por ideias).
O cantor, famoso nos anos 60 e 70, quando a juventude europeia  achava que devia ser maoista ou outra ista qualquer, mudar o mundo e, se necessário morrer por isso, cantava cinicamente uma letra fabulosa que ainda hoje se confirma ( são os idiotas úteis a dar a vida, nunca os líderes) ...

...É curioso como hoje vemos jovens europeus a aderir a uma causa tão sem nexo como é o jihadismo. Mas eu, que fui da extrema esquerda, tenho de reconhecer que o maoismo, o leninismo e outras aventuras, utilizando a política como causa e não como religião, não tinham resultados menos bárbaros. Não vejam aqui qualquer desculpa em relação ao bando de fanáticos que assola a Síria e o Iraque, mas confesso que hoje não desculparia o bando de fanáticos  que eu, e muitos como eu, fomos na juventude. É certo que muitos de nós o abandonaram ao conhecer o barbarismo, mas outros lá ficaram e lá estão...

... - olho para estes radicais -  para os europeus, únicos que ainda posso tentar compreender (porque os da Síria,  do Iraque e de outros lados e não os entendo)  - e vejo também uma reacção à nossa ausência de valores, de espiritualidade, ao nosso materialismo, à nossa vacuidade.  Estes jovens  radicais irão morrer por ideais transitórios, ao serviço de desígnios que nem conhecem. Se puderem, muitos largarão a causa e tornar-se-ão pessoas estimáveis. Sempre assim foi.E, enquanto os seus chefes mandam assassinar inocentes que apenas querem viver, preparamos alguém que  lá vá e morra... pelas  nossas ideias.
Que, em contraste,  são tolerantes, civilizadas,  pacíficas.
Esses morrerão por nós. Que havemos de fazer?"

Henrique Monteiro - No jornal Expresso, de 06/09/2014

terça-feira, 9 de Setembro de 2014

"Harpas e salvas de ouro cheias de incenso...

Harpa - Fonte da imagem: http://search.yahoo.com/ caption
 ...que são as orações dos santos". (crentes) (Livro do Apocalipse cap.5:8b)

Estas palavras, que encontrei  hoje, antes do dia nascer... no capítulo cinco e versículo oito do livro do Apocalipse, que estou actualmente a estudar, tocaram-me, de uma forma muito especial. Percebi,   que nessas salvas de ouro, estão todas as orações que desde "menininha", com um regozijo enorme...elevo ao Pai. "A descoberta", fez rolar  lágrimas pelo meu rosto.

Sempre ganhamos, quando nos debruçamos sobre a Palavra Sagrada, com um coração grato e contrito.Quanto mais vivo, mais prazer me dá ler a Bíblia. Desafio os amigos a fazê-lo também...pois como eu, serão abençoados, acreditem.

domingo, 7 de Setembro de 2014

Porque hoje é Domingo (308)


O jugo de Jesus

Naquele tempo falou Jesus, dizendo: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.   
Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.   
Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece plenamente o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece plenamente o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.   
Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.   
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas.   
Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo e leve.

  (Ev. de S. Mateus cap. 5:25 a 30)   

sábado, 6 de Setembro de 2014

"Tende bom ânimo, sou eu, não temais"

Fonte da imagem:http://arrazmaz.blogspot.ro/

            “Pois todos  ficaram aterrados à vista dele. Mas logo lhes falou e disse: Tende bom ânimo! Sou eu, não temais. E subiu para o barco para estar com eles, e o vento cessou. Ficaram entre si atónitos”. Ev. Marcos 6:50,51
           “Sou eu, não temais”. 
            "Nunca tais palavras foram tão bem recebidas como estas. O que os discípulos mais precisavam era perder o temor, em face da angústia provocada pelo vendaval em pleno mar.
           O medo sempre faz parte de nossas limitações humanas, e leva-nos a perder o controle da situação. Quando criança, medo do quarto escuro, e na idade adulta há uma lista interminável de situações amedrontadoras.
           Os discípulos perderam todo o equilíbrio necessário diante daquela situação. Não bastasse o cansaço dos braços remando contra a fúria do vento, a visão de um fantasma andando pelo mar no meio da madrugada
       Não deveríamos nos descontrolar, tampouco perder o controle da situação, mas via de regra nos descontrolamos porque não temos uma clara percepção daquele que conhece nossos medos, nossas fobias. Há um hino no cancioneiro evangélico que tem a seguinte letra:
Só de ouvir Tua voz
De sentir Teu amor
Só de pronunciar o Teu Nome
Os meus medos se vão
Minha dor meu sofrer
Pois de paz Tu inundas meu ser.
           Em plena madrugada Jesus se encontrava no monte orando ao seu Pai, em plena comunhão. Ao descer foi à procura dos discípulos, pois como Deus conhecia bem a situação desesperadora de todos eles,
            Se pudéssemos ter os nossos olhos abertos em cada situação de medo, e vir Jesus dirigir-se ao nosso lado, sem dúvida não entraríamos em desespero com tanta facilidade.
            Sua voz ecoou no meio do vendaval e chegou de forma nítida ao coração dos discípulos: “Sou eu, não temais”. Essa expressão fala-nos do “Eu sou”, o Deus presente, aquele que é maior do que o nosso medo, maior do que o mar ou da ventania.
           Lembremos que o mar fala de agitação, de terror, de fúria, mas Jesus anda por cima do mar. Ele é mais poderoso do que qualquer fenômeno da natureza ou de qualquer outro poder.
           Descansemos naquele que está no controle da situação, que está por cima da fúria do mar, que se apresenta ao nosso coração com estas abençoadas palavras: “Tende bom ânimo, sou eu, não temas”.
          Quantas vezes na noite escura, alta madrugada, nos sentimos sós, fraquinhos, sendo levados de um lado para outro num mar de agitações e medos. Jesus sempre está por perto desejoso de que confiemos em suas palavras e nos atiremos em seus braços. “Tende bom ânimo, sou eu, não temais”.
Que assim seja.
Orlando Arraz Maz
No Blogue - http://arrazmaz.blogspot.ro/

Nota: 

Obrigada, meu caro irmão Orlando Arraz Maz, pela partilha.

O meu abraço fraterno 

quinta-feira, 4 de Setembro de 2014

Eco - um soneto de Miguel Torga

Trás-os-Montes: http://www.fotosimagenes.org/tras-os-montes 

ECO

Ah! terra transmontana
Que não tens um cantor à tua altura!
Um Marão inspirado,
Um doiro inquieto,
Um plaino aberto
De carne e osso,
Capaz de recriar noutra verdade
Esta grandeza austera,
Onde as pedras parecem ter vontade,
E nenhuma vontade desespera.

(Miguel Torga)

S. Martinho de Anta, 24 de Dezembro de 1970