sexta-feira, 27 de maio de 2016

O amor de Deus por nós, jamais acabará.

Fonte da imagem: http://www.fotosefotos.com/
"Porque as montanhas  e os montes desaparecerão,
mas o meu amor  por vós jamais terminará;
para sempre serei fiel à minha promessa de paz"

Assim diz o Senhor que te ama.

   (Livro do profeta Isaías 54:10)

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Hoje é dia de celebrar a preciosa vida da maninha Esperança


 HOJE É DIA DE ALEGRIA

A minha maninha Esperança celebra o seu 78º aniversário.

É a mais velha dos 4 irmãos.
De tanto dela aqui falar, creio que é já sobejamente conhecida  dos amigos que por aqui passam.
Mas, deixem-me  tentar defini-la:

É muito linda, muito doce, muito sociável, muito pura de coração, muito alegre e  carinhosa.
Embora não vivamos muito distantes uma da outra, ela vive em Lisboa e eu aqui em Mira-Sintra - Cacém,  passamos horas ao telefone. Rimos, brincamos cantamos e conversamos a valer.
Dos 4 irmãos ela é a mais parecida com a Nena, a  nossa saudosa mãe.
Os olhos azuis e a pele muito branca como ela.
Ah! mas quanto eu agradeço ao Deus dos nossos pais - como ela costuma dizer - o dom da vida da maninha Esperança... 
Neste dia, 26 de Maio, o meu coração está repleto de alegria  e contentamento, pela preciosa vida da minha maninha.
Oro, para que o Deus de amor e de toda a bondade, a continue a abençoar e a dirigir, pelos caminhos da vida, e lhe conceda muitos e muitos mais anos  vividos com alegria optimismo e sabedoria.

Obrigada  maninha por todo o teu cuidado, carinho e ternura para comigo.
Que chovam bênçãos  abundantes dos céus sobre ti e a tua "gente bonita".

Um abraço carinhoso da tua irmã Viviana

quarta-feira, 25 de maio de 2016

O meu filho João lança - "Terra Fresca" - amanhã, na Feira do Livro

O novo livro do  meu João

Estou muito contente. O novo livro do meu João - "Terra Fresca" -  será lançado amanhã, se Deus quiser, na Feira do Livro, em Lisboa. O convidado especial que fará o lançamento, será o cantor  Samuel Úria, um bom e "velho" amigo do João.

O livro já se encontra à vendas nas livrarias, desde ontem, principalmente no grupo Bertrand.

Recebi o belo presente, das mãos do meu João, no passado sábado. Logo, olhando a capa, fiquei encantada. O "meu" Palácio de Sintra! Da Sintra que eu tanto amo!
Comecei a folhear e, de imediato, uma outra grande alegria: O João dedicou o livro aos seus irmãos.
Aos quatro. Aos que Deus permitiu que ficassem comigo - O Pedro, o Miguel e o Zé,  mas também ao Daniel que desde "pequenininho"...mora no céu. Aliás, ele é uma das personagens centrais do livro.
Comovente, não?

  Assim  que segurei o livro  nas mãos, de imediato iniciei a leitura e só parei alta madrugada, quando fiquei com  a ideia do  rico conteúdo  que encerra.

Como é que eu me  sinto?
Muito feliz! Muito contente! Muito grata, ao Senhor - Deus - da nossa linda  família, por mais esta bênção que sobre nós derrama.

Ao João, desejo o maior sucesso, não só para este livro, mas também para todos os outros que ainda virá a escrever.
Parabéns, meu filho. vai em frente, segue o teu caminho e sê feliz, nesta área da tua vida, como já o és noutras.
Um beijo da mãe.

Nota informativa:

No próximo sábado, na Feira do Livro, o João dará uma sessão de autógrafos.



Sinopse
Em vésperas da Segunda Guerra Mundial, Francisco Alonso, responsável pela reconstrução do Castelo dos Mouros, em Sintra, faz uma descoberta involuntária que se irá revelar determinante para os destinos de todos os que o rodeiam. Quando a filha nasce com o braço direito inerte, a família Alonso está longe de saber a realidade que se esconde por detrás da misteriosa enfermidade, e quando a maldição, por fim, se revela, a harmonia familiar sofre um golpe quase fatal e todos terão de dar o melhor de si para se adaptar. Setenta anos mais tarde, o neto de Francisco, Jónatas, músico e artista plástico, suicida-se em circunstâncias de horror, com 30 anos, arrastando consigo Lucinda, a irmã. Um dia depois, David e Sofia recebem uma carta escrita pelos irmãos. Nesta, os seus melhores amigos desafiam-nos a seguir um itinerário para ficar a saber a razão do sucedido. Seguindo as orientações, os dois ficarão a conhecer a terrível e maravilhosa história da família Alonso, ao mesmo tempo que David é obrigado a enfrentar os próprios demónios. Passado em Sintra, Lisboa, Finlândia e Estados Unidos, Terra Fresca é um romance acerca do papel de cada um no destino e decisões dos outros. Por vezes melódico, outras vezes repleto de ação, o texto transporta-nos ao longo de oitenta anos, através de um grupo de personagens impossíveis de esquecer, sempre sob o espectro da dúvida sobre o que é real ou não. Com uma ligação subtil ao seu primeiro livro, Alçapão, respondendo a algumas questões que tinham ficado em aberto, Terra Fresca confirma João Leal como uma das novas vozes mais originais da literatura portuguesa, capaz de unir a crítica especializada ao favor de um público mais vasto.

Terra Fresca de João Leal
( http://www.quetzaleditores.pt/livros/ficha/terra-fresca?id=17423492)

terça-feira, 24 de maio de 2016

Uma quadra inédita de Agostinho da Silva (4)

Fonte da imagem: www.thinkstockphotos.com.pt

«Não corro como corria
não salto como saltava
mas vejo mais do que via
e sonho mais que sonhava»

(Agostinho da Silva - no livro - Quadras inéditas) 

Nota pessoal:

Faço minhas as suas palavras...
É  o que sinto.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Golpe de verdade - Por o pastor Orlando Arraz Maz


 Fonte da imagem: http://www.show2.me/pt/

«Golpe – uma palavra tão falada e repetida muitas vezes nestes últimos dias. De tanto ouvi-la ou mesmo lê-la nos meios de comunicação, sempre foi ligada à política ou às atividades governamentais, e a  mente de muitas pessoas  sempre esteve voltada para tais ocorrências.

Também compartilhei dos mesmos pensamentos, até que pensei em outro golpe, bem diferente, porém, terrivelmente trágico: o golpe que dá Satanás. Este realmente é um golpe na acepção da palavra que atinge a todas as pessoas, em qualquer lugar deste mundo. Não se compara à ideia do golpe que tanto foi comentado ultimamente.

Nas Sagradas Escrituras há muita menção dos golpes de Satanás, pois eles visam  atingir desde pessoas até ao Filho de Deus, o Senhor Jesus. Nem sempre é bem sucedido, no caso de Jesus, que resistiu aos seus golpes e os venceu, retirando-se completamente frustrado. Entretanto, Jó, vítima de Satanás, recebeu inúmeros golpes e foi socorrido pelo poder de Deus.

Os golpes de Satanás são desferidos sem piedade e o seu prazer é afastar o ser humano de Deus, e fazê-lo sofrer terrivelmente os seus efeitos. Jesus nos deixou instruções precisas sobre suas atividades: “O ladrão não vem senão para furtar, matar e destruir. Eu vim para que as ovelhas tenham vida e para que a tenham em abundância”. João 10:10. E o Apóstolo Paulo nas diversas cartas que escreveu, relata o cuidado que devemos ter para nos proteger deles.

Os golpes perpetrados pelos que governam, e que ocorrem em muitos lugares, levam as pessoas ao sofrimento, à perda de seus direitos, à intranquilidade, e roubam-lhes a paz. Já, os golpes de Satanás não se comparam, pois começam em nossos dias, atravessam o tempo e permanecem na eternidade.

Portanto, se as pessoas não podem livrar-se dos golpes humanos, há recursos à disposição de todos para enfrentarem os golpes de Satanás. “Por isso, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo”. Efésios 6:13. Basta crer e confiar no poder de Cristo, lançar mão desta abençoada armadura, e os golpes serão resistidos com facilidade.» 

Que assim seja

Orlando Arraz Maz - no blogue - http://arrazmaz.blogspot.pt/

domingo, 22 de maio de 2016

Porque hoje é Domingo (390)


Salmo de David quando estava no deserto de Judá

O Deus, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água;   Para ver a tua força e a tua glória, como te vi no santuário.   Porque a tua benignidade é melhor do que a vida, os meus lábios te louvarão.   Assim eu te bendirei enquanto viver; em teu nome levantarei as minhas mãos.   A minha alma se fartará, como de tutano e de gordura; e a minha boca te louvará com alegres lábios.   Quando me lembrar de ti na minha cama, e meditar em ti nas vigílias da noite.   Porque tu tens sido o meu auxílio; então, à sombra das tuas asas me regozijarei.   A minha alma te segue de perto; a tua destra me sustenta.
  (Livro dos Salmos cap. 63:1 a 8)
O Deus, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água;
Ó Deus, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água;
Para ver a tua força e a tua glória, como te vi no santuário.
Porque a tua benignidade é melhor do que a vida, os meus lábios te louvarão.
Assim eu te bendirei enquanto viver; em teu nome levantarei as minhas mãos.
A minha alma se fartará, como de tutano e de gordura; e a minha boca te louvará com alegres lábios,
Quando me lembrar de ti na minha cama, e meditar em ti nas vigílias da noite.
Porque tu tens sido o meu auxílio; então, à sombra das tuas asas me regozijarei.
A minha alma te segue de perto; a tua destra me sustenta.
Mas aqueles que procuram a minha alma para a destruir, irão para as profundezas da terra.
Salmos 63:1-9

sábado, 21 de maio de 2016

Tempos de aquietar - por Vilma Correia



 Li, no blogue da querida amiga e irmã em Cristo - Vilma Correia - achei oportuno e apropriado aos tempos que estamos a viver.
Trouxe a fim de partilhar com os amigos aqui.

Obrigada Vilma 



«Ao longo da minha caminhada com Deus, tenho vivido e experimentado momentos únicos.
Daqueles momentos tão especiais que as palavras são difíceis para expressar.
Mas também tenho alturas em que me parece que Deus está em silêncio, ausente.
Que O procuro e não O encontro.
E por estranho que possa parecer, têm sido esses momentos que me têm feito aproximar ainda mais Dele.
Gosto de ler sobre Elias, um dos meus profetas preferidos. Ele conheceu e experimentou Deus de formas muito especiais.
Quando Elias começou o seu ministério, com certeza esperando algo de bem movimentado na sua vida, Deus mandou-o retirar-se.
Mais à frente, após uma vitória tremenda sobre Jezebel e os profetas de Baal, Elias fugiu e recolheu-se.
Ao meditar nisto, percebo o quanto Deus usa caminhos e meios que nos transcendem, mas acima de tudo, o quanto Deus se preocupa muito mais com as pessoas do que com os meios e obras.
Por vezes, surgem situações na nossa vida, que nos fazem parar, desanimar.
No meio de tanta coisa que poderíamos fazer (pensamos nós) de repente, algo nos obriga a parar, a largar o que tínhamos planeado.
Pensamos em como esse tempo de paragem é um tempo perdido.
Mas não.
Quando confiamos em Deus, sabemos que para Ele não há tempos perdidos.
Que mais do que aquilo que fazemos, o que Ele deseja acima de tudo, é a nossa pessoa.
Que para Deus, o obreiro é muito mais importante que a obra.
Pois para Ele, preciosa sim, é a obra que Ele faz no obreiro.
E muitas vezes, para isso, é preciso saber escutá-Lo no silêncio, na quietude, nas paragens.
Isto não significa ser resignada, mas apenas confiante de que para Deus, o melhor está por vir.
Esta é a minha fé. E confiança.»


Vilma Corrreia 

No blogue -  blogue - http://coisasdemim.blogspot.pt/