quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Homenagem ao Bombeiro - Um poema de Rama Lyon



 No dia 17 de Agosto de 2010, publiquei  este texto, como preito da minha eterna gratidão e  Homenagem aos Heróicos homens e mulheres, Bombeiros de  Portugal.

Passaram-se  7 anos, e de novo aqui estou, com o mesmo sentimento, e uma tristeza ainda maior, porque a desgraça dos incêndios, desta vez,  está a ser terrível!

 O Texto

Há semanas que Portugal arde.
Há semanas que de noite e de dia, há homens e mulheres que se dão inteiramente, completamente, arriscando, ou, entregando a vida em prol dos outros.
Estão extremamente cansados, exaustos e tristes... por verem o braseiro em que o país se tornou.
Para esses bravos e bravas, eis aqui um belíssima homenagem prestada por o meu bom amigo Rama Lyon, do blogue - http://ramalyon.blogspot.com/

Homenagem ao Bombeiro

Vejo chamas, sinto o calor
Que abrasa o país inteiro.
Vejo o esforço, sinto o ardor
Com que luta o bombeiro.
.
Com a agulheta na mão
Pelas vertentes da serra
Combatendo esse dragão
Que pôs fogo à nossa terra.

Não tem horas de trabalho
Nem cama para dormir.
Faz da vida um atalho
Para o seu dever cumprir.
.
Como é triste o que ele vê
Num Portugal chamuscado
Onde a fauna está à mercê
Deste fogo tresloucado.
.
Ouve os gritos d’aflição
Do povo em cada aldeia
Onde aquela destruição
Junto às casas serpenteia.
.
Apesar de andar cansado
Com o suor a correr do rosto
Vai lutando como um soldado
Que nunca abandona o posto.
.
Ele merece nosso respeito
Pela sua grande coragem
E por isso tem o direito
A esta simples homenagem.

(Rama.Lyon)

Para que ninguém esqueça, lembro os nomes  dos bombeiros que perderam a vida no ano de 2013:

                                           
A Bombeira Cátia Pereira Dias
 O Bombeiro Pedro Miguel
O Bombeiro  Nuno
O Bombeiro Bernardo FigueiredoA
O Bombeiro Bernardo Cardoso
A Bombeira Ana Rita
O Bombeiro Daniel
O Bombeiro Fernando Reis

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Digam lá se o meu gato Teco não é esperto!

O nosso  meigo e lindo gato Teco, dormindo uma boa soneca, aqui atrás de mim...tapando os olhos com a patita, por causa da claridade.
Encontrá - mo-lo abandonado e  quase a morrer de fome, escondido nuns arbustos de um  canteiro de jardim, aqui perto de casa, há cerca de 10 anos. Conquistou-nos  completamente com a sua mansidão e  a sua beleza. Tem uns belíssimos olhos azuis e um pêlo sedoso cor-de-mel.
As "nossas crianças" logo a ele se afeiçoaram, e todas...desde a Luz de 3 anos até  ao Gil de 22...querem-lhe muito bem.
Qualquer pessoa que venha cá a casa, inclusive o "senhor da pisaria",  é recebido por ele à porta, e a todos cumprimenta com "um  miau"... e um roçar nas pernas. Não há quem não se afeiçoe ao Teco.

Está a ficar "velhote"... cada vez mais carente de festinhas.
Entende, praticamente, tudo o que eu lhe digo, até entende o meu olhar e o meu tom de voz.
Desejamos que ele ainda esteja connosco por bastante tempo.
Aliás, ele já faz parte da família.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A minha sentida Homenagem ao Piloto do Helicóptero que perdeu a vida em Castro Daire


Foi  com imensa tristeza, que ouvi a notícia do acidente com um Helicóptero, no incêndio em Castro Daire, que ceifou a vida do Piloto Português Américo Sousa, de 51 anos.

Deixou viúva a sua esposa, e orfãs, as suas duas filhas menores.

Era um homem com uma grande experiência, que realizava   este tão importante e extraordinário  trabalho de apoio e salvamento, com uma alegria e dedicação enorme.

Foi chamado a combater  as chamas que lavravam em Castro Daire, tendo a morte surgido quando o Helicóptero bateu num poste de alta  tensão que o piloto não visualizou.

A este homem, corajoso e abnegado,  quero prestar aqui, neste humilde espaço, a minha sincera e sentida Homenagem. Também, a minha gratidão  enorme e eterna, por todos os actos  de auxílio e salvamento que durante a sua vida  prestou ao próximo.

Creio que é muito triste partir assim, a meio da vida, quando se tem tanto para doar, em prol dos outros.

Resta-me dizer ao Américo: Muito Obrigada! Muito Obrigada por tudo e por tanto!
Oro, para que  o Deus de amor e de toda a bondade, console e conforte  a sua esposa, as suas filhas, e todos os os outros familiares.

Uma nota final:

Se...como tudo leva a crer, este incêndio terrível resultou de   "fogo posto"...será que quem o fez tem bem noção do mal e sofrimento que causou?
Como se sentirá?

Que Deus tenha misericórdia e compaixão deste pobre país, que tanto amamos e que está a ser queimado e destruído, desta forma tão brutal.

domingo, 20 de agosto de 2017

Porque hoje é Domingo (453)


A PERSEVERANÇA NA ORAÇÃO

E prosseguiu Jesus:  «Suponham que têm que ir a casa de um amigo à meia noite e lhe pedem: "Empresta-me três pães, porque me apareceu em casa um amigo que vem de viagem e eu não tenho nada para lhe dar." Ora imaginem que o outro grita lá de dentro: " Não me incomodes! A porta já está fechada;  os meus filhos e eu  já estamos na cama. Não posso levantar-me para te dar os  pães."
 Jesus acrescentou: «Pois digo-vos: ainda que ele não se queira levantar para lhe dar os pães, acaba por  levantar-se e dar-lhe tudo o que é preciso, não por ser seu amigo, mas para não ser mais incomodado. Por isso vos digo: peçam, que vos será dado; procurem, que hão-de encontrar; batam à porta e ela há-de abrir-se. Pois o que pede recebe, o que procura encontra e  a quem bate á porta  esta se abrirá. Alguém que seja pai será capaz de dar ao filho uma cobra , se ele pedir um peixe, ou um escorpião, se pedir um ovo? Ora se,  mesmo sendo maus, sabem dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem!»

(Ev.de S. Lucas cap.11: 5 a 13)
 Na Bíblia para Todos

sábado, 19 de agosto de 2017

Tenho Saudades do Calor ó Mãe - Um poema de Daniel Faria



O Poeta Português Daniel Faria. Fonte da imagem: http://www.citador.pt/


Tenho Saudades do Calor ó Mãe

Tenho saudades do calor ó mãe que me penteias
Ó mãe que me cortas o cabelo — o meu cabelo
Adorna-te muito mais do que os anéis

Dá-me um pouco do teu corpo como herança
Uma porção do teu corpo glorioso — não o que já tenho —
O que em ti já contempla o que os santos vêem nos céus
Dá-me o pão do céu porque morro
Faminto, morro à míngua do alto

Tenho saudades dos caminhos quando me deixas
Em casa. Padeço tanto
Penso tanto
Canto tão alto quando calculo os corpos celestes

Ó infinita ó infinita mãe

(Daniel Faria - http://www.citador.pt/) 
  Poeta   - Portugal 10 Abr. 1971 / 9 Jun 1999 

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Aconteceu há 111 anos.


    Lago Menteith - Escócia .Fonte da imagem:https://en.wikipedia.org/
Escócia - 17 de Agosto de 1906

«Fui de bicicleta a Aberfoil, nas proximidades do Lago de Menteith, e regressei passando por Loch Achray, Loch Katrine e Loch Vennachar. Esteve um dia de muito sol e claro e  era maravilhoso contemplar a paisagem de sítios de onde se dominavam  grandes panorâmicas. Na elevada crista das colinas que separam Aberfoil dos Trossachs, encontrei as bagas  vermelhas de medronheiro - ursino que crescia no meio das urzes e das rorelas em flor.

Medronheiro, ou, uva ursina. Fonte da imagemhttps://www.chabeneficios.com.br/   
 
 A Bela genciana . Fonte da imagem: https://www.jardineriaon.com/.

Á Beira do Lago Vennachar encontrei algumas gencianas.»

(Edith Holden - no seu Diário - A Alegria de Viver  com a Natureza)

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

A Natureza e a Adoração a Deus

As belas "Glórias da Manhã", aqui perto de casa.

«O homem é parte do Universo, e um espelho  que o reflete. Portanto a criação, visível e invisível se reflecte nele.  É o único ser que pode interpretar a criação do mundo. É a linguagem da natureza. A natureza fala mas silenciosamente. O homem transforma em palavrasa a voz silenciosa da natureza..

O homem é um ser limitado; logo os seus sentidos têm também limite. Por conseguinte, não podemos perceber todos os aspectos da criação. Para conhecer todos, seriam necessários inúmeros sentidos. Os nossos poucos sentidos permitem a percepção de alguns aspectos e a sua natureza, e  assim mesmo imperfeitamente. Apenas, destas limitações, o coração tem uma concepção da Realidade. Independente do intelecto, cuja aptidão não pode ser compreendida pela inteligência. A vista humana, ainda que pequena, penetra em distâncias imensas e alcança lugares aonde nem o próprio homem pode ir. Contempla as estrelas que estão distantes  milhões de quilómetros, observa  o seu movimento e extasia-se com o seu fulgor. Os olhos do coração também penetram nas coisas profundas de Deus e esta compreensão impele o homem a adorá-lo, e só em Deus ele tem  perfeitamente satisfeitas para sempre as necessidades do coração.»

(Sadu Sundar Singh - no livro - Realidade e Religião)